O que é BIM e como esse decreto pode influenciar o pós-obra?

O  BIM, Building Information Modeling ou Modelagem da Informação da Construção, é um conceito difundido há alguns anos no segmento da construção civil, principalmente quando falamos de projetos. 

Ele é diferente do usual 2D, que é um desenho planificado do que vai ser construído. 

Quando aplicado o conceito BIM, os modelos se tornam em 3D e todos componentes e objetos possuem informações e características, facilitando assimilar a realidade do projeto, deixando-o ainda mais fiel ao produto final. 

Um exemplo que serve para definir bem as diferenças do 2D para o BIM é a comparação entre um planejamento desenhando mapas e plantas (2D) e transformando o projeto em uma maquete (3D). 

O que é BIM 

Os projetos que são realizados através da tecnologia em BIM agrega informações de todas as partes que estão envolvidas no planejamento de um empreendimento. Cada área fornece informações detalhadas da construção e todos os demais setores envolvidos no projeto têm acesso. As informações são compartilhadas com engenheiros, planejadores, arquitetos e responsáveis pela compra de material. 

Para isso, é necessário utilizar um software que suporte o conceito BIM. Através dessa plataforma, diversas pessoas que trabalham no projeto poderão inserir informações e melhorar o projeto ao mesmo tempo, utilizando o mesmo arquivo e adicionando dados referentes às suas especialidades e acompanhando as atualizações no modelo em tempo real para evitar a famosa incompatibilização de projeto.

Essa é uma das tecnologias que chegaram até a construção civil devido a era digital e o avanço dos softwares de automação de processos na área. Cada vez mais se investe em tecnologias, a exemplo do BIM.

As etapas de planejamento e criação do projeto da obra se tornaram mais eficientes, reduzindo a chance de problemas na execução do projeto, o que agrega o benefício de redução de custos e aumento na qualidade das edificações. 

Quando uma obra é totalmente conectada através da implementação dos serviços de TI (Tecnologia da Informação) e dialoga com todas as áreas que atuam na criação do projeto, os processos ocorrem de maneira integrada. Isso otimiza o tempo de trabalho e aumenta as possibilidades de assertividade em todas as etapas, desde a criação até a execução do projeto.

Características e vantagens 

A plataforma National BIM Standart-United States (NBIMS-US) define a Modelagem da Informação da Construção como uma fonte de conhecimentos compartilhados que geram informações mais completas a respeito de um empreendimento, além disso, há um destaque feito pela NBIMS-US para a colaboração de todos os participantes do projeto como um dos principais motivadores da prática do método BIM. 

Engenheiros, construtores, fornecedores, arquitetos e outros profissionais da construção civil podem obter informações que atendam às suas necessidades e que auxiliem na tomada de decisões mais assertivas. 

Um outro ponto vantajoso desse método é a atualização em tempo real. Assim que um dos profissionais atualiza determinada informação no projeto, ela é alterada em tempo real para os demais membros que estão atuando na construção. 

Ainda há outras vantagens, como por exemplo:

  • O cumprimento das datas estabelecidas no cronograma da obra; 
  • Oportunidade de estar soluções de maneira prévia;
  • Comunicação eficiente entre os participantes do projeto e melhor fluidez do compartilhamento de informações referente a construção;]
  • O projeto pode ser compreendido, revisado e melhor visualizado. Isso garante maior precisão e melhor avaliação de alternativas para otimizar os recursos e processos.
  • Integração do modelo com planejamento e orçamento da obra.

Manual interativo para o pós-obra


➤ Confira, na íntegra, o material que transformará o seu pós-obra. Revolucione!

O BIM é o mesmo que 3D? 

A tecnologia 3D aplicada em um projeto foi o avanço natural do desenho dos projetos de construção civil, então de que maneira o BIM difere do 3D?

Quando aplicada a tecnologia BIM em um desenho 3D, ele ganha uma série de informações importantes para o projeto e isso só é possível através do método da Modelagem da Informação da Construção, ou BIM. 

Cada objeto que será modelado no software aceita parâmetros e informações que agregam ao projeto e facilita o trabalho de outros profissionais que não se resume apenas aos projetistas. 

Há um costume dentro do ramo da construção civil que diz que quanto mais próximo o projeto for da realidade, maiores vão ser as possibilidades de êxito dele no futuro. 

A tecnologia BIM está sincronizada com essa realidade e dão recursos para que seja possível visualizar prévias das edificações, isso permite que os planejamentos de projetos sejam mais precisos. 

O decreto 10.306 e as influências no pós-obra 

O decreto 9.377 surge em 2018 e tem como principal objetivo estimular a utilização de BIM na execução de obras e serviços de engenharia pelo país durante os próximos dez anos. 

Para isso, foram definidos benefícios que poderão ser promovidos pela estratégia de implantação do método BIM no Brasil. 

São eles: 

  • Difundir o BIM e os benefícios promovidos por essa tecnologia; 
  • Desenvolver normas, guias e protocolos específicos para adoção do BIM;
  • Incentivar a concorrência do mercado através de padrões neutros e interoperacionais do BIM; 
  • Promover a capacitação em BIM;
  • Criar uma plataforma e biblioteca nacional do BIM; 
  • Desenvolver condições favoráveis para o investimento nas esferas pública e privada.

No contexto do pós-obra, a promoção da padronização de processos e a participação de todas as áreas que vão atuar na construção do empreendimento garante ao usuário final, ou seja, aos clientes que vão adquirir os imóveis uma compra de um bem melhor executado, já que o método BIM faz com que o projeto de criação e execução da obra seja feita de maneira assertiva. 

Isso permitirá ao segmento do pós-obra maior satisfação dos clientes, redução de chamados de atendimento, já que as chances de oportunidades na entrega do empreendimento são reduzidas de maneira significativa com o BIM, isso implica em um crescimento do setor e expansão do mercado.  

Além disso, caso todos os projetos complementares sejam feitos na tecnologia BIM, os usuários e gestores dos imóveis poderão usufruir de novas funcionalidades previstas para os novos Manuais Interativos. 

Entre as novidades temos o escaneamento de QR Codes em áreas técnicas, que permitem fácil compreensão e análise, além da visualização em realidade aumentada das instalações hidráulicas e elétricas contidas nos elementos de vedação. Desta forma, a gestão de facilities terá ainda mais assertividade e a gestão do conhecimento, sobre as características dessas instalações, permanecerá ativa para futuros acontecimentos.

Leave a comment